Tags

,

Salam!

Hoje eu trago mais um texto.Eu sei que ultimamento não ando criando muitos posts,mas estou sem ideias e um tanto ocupada.Então,para não ficar sem postar,vou continuar trazendo textos.

O Hijab no Cristianismo

É incorreto pensar que somente a mulher muçulmana é quem tem a obrigação de se vestir decentemente, pois mostrar os contornos do corpo feminino quer seja através de vestes transparentes, justas ou deixando parte do corpo ou cabelo descobertos, é também interdito noutras religiões.

De fato, o Islam não é a única doutrina que advoga essas diretivas, mas é certo que se trata da única religião no mundo moderno que ainda luta por manter e defender os seus princípios morais e sociais.

As muçulmanas são as únicas mulheres que ainda optam por seguir o código de indumentária deixado pelo último mensageiro enviado à humanidade – Muhammad, assim como pelos profetas anteriores a ele como Jesus e Moisés .

Analisemos o caso concreto do Cristianismo, que é atualmente a religião mais predominante no Ocidente e de onde surgem indivíduos que constantemente se prontificam a criticar o Islam quando o assunto é Hijáb e não só.

Antes de prosseguir, é pertinente esclarecer aqui o verdadeiro conceito de Hijáb. Não se trata apenas da conduta e comportamento da mulher, mas abrange ainda a sua indumentária, pois segundo este código, a mulher deve constantemente cobrir todo o seu corpo incluindo os cabelos, com exceção da cara, mãos e pés, e não vestir peças justas ou transparentes de modo a que possa exibir as partes proibidas.

Portanto, o termo árabe “Hijáb” reflete um conceito mais alargado e não possui uma tradução direta para Português. Este conceito tem sido indevidamente traduzido através da palavra “véu”, que na língua portuguesa significa “tecido com que as mulheres cobrem o rosto”, o que é incorreto pois o termo árabe utilizado para esta última palavra é “Niqáb”, que é especificamente a peça que cobre o rosto.

Voltando ao assunto em epígrafe, será que é um mandamento cristão a mulher cobrir os seus cabelos? Vejamos o que diz a Bíblia sobre isso:

«Rebeca também levantou seus olhos, e viu a Isaac, e desceu do camelo. E disse ao servo:

Quem é aquele homem que vem pelo campo ao nosso encontro?

E o servo disse: Este é meu senhor. Então tomou ela o véu e cobriu-se.»

[Gênesis 24:64-65]

Rebeca cobriu a sua cabeça na presença de Isaac – um homem estranho a si – como sinal de modéstia, prática essa que ainda hoje pode ser encontrada nalgumas mulheres extremamente decentes, retratando exatamente aquilo que defende a Bíblia.

Era prática das mulheres à volta dos profetas, incluindo Jesus, cobrirem a cabeça e se vestirem decentemente devido à sua modéstia e por serem reservadas. Paulo também criticava duramente às mulheres que não cobriam a cabeça, senão vejamos:

«Todo o homem que ora ou profetiza, tendo a cabeça coberta, desonra a sua própria cabeça.

Mas toda a mulher que ora ou profetiza com a cabeça descoberta, desonra a sua própria cabeça, porque é como se estivesse rapada.

Portanto, se a mulher não se cobre com véu, tosquie-se também. Mas, se para a mulher é coisa indecente tosquiar-se ou rapar-se, que ponha o véu (cubra os cabelos).

O homem, pois, não deve cobrir a cabeça, porque é a imagem e glória de Deus, mas a mulher é a glória do homem. Porque o homem não provém da mulher, mas a mulher do homem. Porque também o homem não foi criado por causa da mulher, mas a mulher por causa do homem. Portanto, a mulher deve ter sobre a cabeça sinal de poderio, por causa dos anjos.»

[I Coríntios 11:4-10]

Estes versículos deixam algumas mensagens interessantes relacionadas às diretivas cristãs:

• O homem cristão não deve cobrir a cabeça, pois isso é desonra para ele. Não se compreende como é que os prelados das igrejas cristãs, incluindo o Papa, cardeais, etc. usam a mitra ou solidéu sobre a cabeça.

• A mulher cristã não deve deixar a cabeça descoberta, pois isso é desonra para ela, assim como o é rapar os seus cabelos. Portanto, a mulher que não cobre a cabeça que rape os seus cabelos, mas se isso for indecente para ela, então que os cubra.

• O homem é a imagem e glória de Deus, não provém da mulher e nem foi criado por causa dela, enquanto que a mulher é glória do homem, provém dele e foi criada por causa deste.

O objetivo pelo qual a Bíblia estabelece de que a mulher deve cobrir a cabeça está bem claro: representa a autoridade e superioridade do homem em relação à mulher, tal como foi estipulado por S. Paulo.

O Ocidente tem atribuído indevidamente a mesma concepção à religião islâmica; como o Hijáb é sinal de autoridade masculina no Cristianismo, então concluem que o mesmo princípio talvez seja igualmente aplicável no Islam.

Contudo, o objetivo do Hijáb é de preservar a modéstia, honra e dignidade da mulher, tratandose duma criatura mais sensível, preciosa e particular. Se o propósito do Hijáb fosse aquele que é atribuído ao Islam pelo Ocidente, então o sagrado Al-Qur’an seria claro em defender isso assim como o fez a Bíblia.

É também dever da mulher cristã cobrir a cabeça quando pretende orar ou efetuar trabalhos na igreja e sempre que estiver na presença de homens estranhos. Até aos anos 60, era obrigatório à mulher católica cobrir os seus cabelos na Igreja, lei essa que foi mais tarde “modernizada”, assim como muitas outras leis bíblicas.

Já pensou porque razão é que Maria, a mãe de Jesus, é sempre representada com os cabelos cobertos?

É de admirar porque apenas algumas freiras é que cumprem o “Hijáb”. Que leis são essas que devem ser cumpridas somente por uma camada de crentes seguidores da mesma doutrina?

O mesmo acontece com a questão do casamento, em que uns podem contrair e outros não, esquecendo-se que se trata duma necessidade individual de cada ser humano, para depois se envolverem em escândalos de pedofilia, deixando de lado tanta mulher que existe por aí!

Na realidade, são estes aspectos que fazem com que o Islam seja reconhecido na prática e que tem conquistado vários seguidores, apesar da forte crítica que tem sido divulgada pela media ocidental, talvez por inveja de ser a religião que mais crentes ganha e a única que ainda cumpre os princípios originais estipulados por Deus aos diferentes profetas que foram enviados à face da Terra.

É verdade que certas muçulmanas não cumprem devidamente o mandamento do Hijáb. Mas quantas cristãs o fazem? Qual a proporção das que cumprem em relação às outras, em cada uma das religiões?

Quantos cristãos seguem os ensinamentos bíblicos referentes à Unicidade de Deus, caridade obrigatória, proibição do sexo pré-marital, do adultério, das bebidas alcoólicas, da carne de porco, etc.?

Na realidade, existe um número muito reduzido de judeus e cristãos que ainda seguem os ensinamentos das suas Escrituras sagradas.

Entretanto, a lei moral requer que a mulher cumpra o Hijáb (código de conduta) no seu coração muito antes de vesti-lo (como indumentária) exteriormente, pois aí estaria a aceitar livremente a posição que Deus lhe concedeu, seja na igreja, no seio da família ou na sociedade.

O exemplo disso é o de uma das grandes mulheres que surgiu na história da humanidade: Maria, mãe de Jesus, uma personalidade humilde, submissa e obediente a Deus, a respeito da qual o profeta Muhammad (saws) disse: «De entre os homens existem muitos que se aperfeiçoaram, mas nas mulheres, só Ássiya, a esposa do Faraó, e Mariam filha de Imrán (mãe de Jesus) é que se aperfeiçoaram». [Sahih Bukhari]

Tudo o que é valioso não é de fácil acesso nem se encontra à mostra; o mesmo acontece com as coisas preciosas que ALLAH criou, senão vejamos: os diamantes e pedras preciosas são encontrados nas profundezas do subsolo, bem cobertos e escondidos; as pérolas encontramos no fundo do oceano, protegidas dentro de lindas conchas; o mesmo sucede com o ouro e utros metais preciosos, em que temos que perfurar rochas e rochas até os alcançarmos.

Quem tem a coragem de deixar o seu dinheiro, umas simples notas de papel, à disposição de qualquer pessoa? Ninguém, pois conhecemos o seu verdadeiro valor e esforçamo-nos bastante para adquiri-lo.

Qualquer fruta também foi criada com a respectiva casca, uma espécie de invólucro que tem a função de conservar o sabor, o suco e a fruta no seu todo. Como podemos ver, existem vários outros exemplos que poderiam ser mencionados.

Portanto, tudo o que é valioso ALLAH deixou bem protegido. O mesmo acontece com a mulher, que é muito mais preciosa do que diamantes, pérolas, ouro ou dinheiro e deve igualmente estar constantemente coberta e protegida.

ALLAH estima a mulher que cumpre o Hijáb e sabe que se trata dum presente dado por Ele, pois a tratou como uma criatura bastante preciosa. Ela cumpre o Hijáb, pois sabe que através do mesmo adquire a honra, dignidade, respeito, beleza e estatuto e não se expõe perante homens estranhos que almejam apenas o contentamento carnal.

Fonte

Maa Salama!

 

Anúncios