Tags

Salam!

É do íntimo do ser humano a necessidade de se sociabilizar. Isto se dá desde o berço, através da relação bebê x mãe, que no futuro, servirá como parâmetros para o resto da vida. Podemos dizer que o conceito de socialibização e de vida, quase se fundem.

No Islam, uma das relações interpessoais mais importante, é irmandade e o bom tratamento para com os irmãos de fé.

O profeta Muhammad disse: “A relação do crente com outro crente é como (os tijolos) de um edifício, cada um fortalece o outro” (Bukhari, Muslim). Ele ilustrou isso entrelaçando os dedos das duas mãos. E também disse:“Nenhum de vocês se tornará um verdadeiro crente até que deseje para seu irmão o que deseja para si mesmo” (Muslim).

Preservar boas relações com os demais muçulmanos, é fundamental para a construção de uma nação sólida e unida, e para o crescimento e perpetuação da religião. Para alcançar estes objetivos, devemos observas as seguintes etiquetas, no que diz respeito a prática plena da irmandade:

-Lidar com seus irmãos da melhor maneira possível, respeitando as boas maneiras, pois, estas geram uma atmosfera de amor e carinho. O Profeta nos informou que a melhor recompensa que alguém pode obter é através da prática das boas maneiras. Além disso, ele nos ensinou a lidar com as pessoas com gentileza, e durante toda sua vida nunca foi grosseiro. Antes do advento do Islam, Muhammad, era conhecido por possuir um caráter impecável, e isto foi fundamental para que as pessoas se interessassem e acreditassem no que ele pregava. Além de afabilidade de sua natureza, o Profeta era conhecido, desde tenra idade, por sua fidedignidade. Daí o seu título de Al-Amin. O Alcorão diz:

“Pela misericórdia de Deus, foste gentil para com eles; porém, se tivesses tu sido insociável ou de coração insensível, eles se teriam afastado de ti. Portanto, indulta-os, implora o perdão para eles e consulta-os nos assuntos (do momento). E quando te decidires, encomenda-te a Deus, porque Deus aprecia aqueles que (a Ele) se encomendam.” [Alcorão Sagrado 3:159]

-Garantir e conceder os direitos de seus irmãos de acordo com sua idade; honrar as pessoas idosas, tratar os jovens com amor e ensinar-lhes o que devem saber sobre a religião.

-Omitir os erros de seus irmãos, sendo isto uma característica de um verdadeiro crente, e procurar justificar a atitude deles. O Profeta (que a paz esteja sobre ele) disse: “Aquele que esconde a falha de um muçulmano, Deus irá esconder a sua falta no dia do Juízo Final”(Muslim).

Das palavras de al-Hamdun Qassar, um dos primeiros sábios muçulmanos:

“Se um amigo dentre os seus amigos errar, encontre 70 desculpas para ele. Se o seu coração é incapaz de fazer isso, então saiba que o defeito está em si mesmo.”

E das palavras de Imam Jafar Sadiq: “Se você encontrar algo que não goste em seu irmão, tente encontrar 70 desculpas para ele. E se você não conseguir encontrar uma desculpa, diga: “Pode haver uma desculpa, mas eu não sei”. Também é dever do muçulmano guiar e orientar o irmão que está em erro.

-Não invejar o que Allah concedeu para seu irmão. Alegre-se pela benção que ele recebeu.

-Não fazer fofocas sobre seu irmão. O Alcorão ilustra essa atitude da seguinte maneira:

“Ó fiéis, evitai tanto quanto possível a suspeita, porque algumas suspeitas implicam em pecado. Não vos espreiteis, nem vos calunieis mutuamente. Quem de vós seria capaz de comer a carne do seu irmão morto? Tal atitude vos causa repulsa! Temei a Deus, porque Ele é Remissório, Misericordiosíssimo.” [Alcorão Sagrado 49:12]

O Profeta disse: “Aquele que verdadeiramente crê em Deus e no último dia (juízo final), deve falar o bem ou ficar em silêncio”(Bukhari, Muslim).

-Ser alegre e gentil no discurso, e evitar a arrogância.

-Aconselhar seu irmão e aceitar seu conselho também. O Alcorão diz:

“…E ajudai-vos, mutuamente, na bondade e na piedade.” [Alcorão Sagrado 5:2]

-Não guardar rancor do seu irmão e não prolongar o desentendimento. O Profeta disse: “Não é justo que um homem abandone (deixe de se comunicar) o seu irmão por mais de três dias” (Bukhari, Muslim).

-Agradecer os favores que seu irmão lhe oferece. O Profeta disse: “Aquele que não agradece as pessoas, não agradece a Deus”(Ahmad, Tirmidhi). 

-Cumprir todas as promessas que faz. O Profeta disse: “Nunca prometa algo para seu irmão e depois quebre a promessa, pois, isto faz com que o amor se transforme em ódio”.

-Estimular a harmonia e o amor. Umar, um dos primeiros muçulmanos e califas do Islam, disse: “Há três coisas que irão garantir o amor entre você e seu irmão; saudá-lo com o Salaam sempre que o ver, oferecer espaço para que ele se sente quando ele chega em uma reunião e chamá-lo com o mais querido nome ou apelido para o seu coração”.

-Fazer com que seu irmão saiba do seu carinho por ele. O Profeta disse: “Quando um homem ama a seu irmão, ele deve dizer a ele que o ama” (Abu Daud, Tirmidhi). 

De tudo que foi exposto, podemos concluir que o Islam é uma fonte inesgotável de conhecimento, não somente para os muçulmanos, mas para os não-muçulmanos também. Estas exortações (que constituem 1% do ensinamentos Islâmicos sobre a irmandade), quando seguidas, constroem uma sociedade edificada sobre compaixão e amor para com o próximo.

Fonte: A Mulher no Islam 

Maa Salama

Anúncios