Tags

, ,

Salaam!

Recebi um comentário que achei interessante responder aqui,por post,o comentário é grande a resposta também,então achei melhor aqui.O comentário é bom para abrir uma discussão:mulher muçulmana livre ou não?

Comentário:

Eu realmente sou uma pessoa bastante curiosa. Vi a novela o Clone pela primeira vez, estou revendo agora. Mas nunca levei o que via exatamente como a pintura da realidade. Novela é e será sempre ficção. Mas achei interessante conhecer essa religião. Gosto muito de pesquisar e ver o que realmente se configura dentro de cada filosofia.

Embora ache uma religião rica, e com muitos valores bonitos, ainda considero certas coisas incoerentes, discordantes, distantes de clareza espiritual. Porque talvez se limita muito seu universo. Ainda se configura com uma religião muito patriarcal. Confere mais direitos aos homens do que propriamente à mulher.

A tolerância e ausência de discriminação tão alegadas pelo Islã chega a ser uma via de mão única, quando se concede direitos apenas aos homens. Em uma sura da qual não me recordo, o alcorão concede o marido a bater na esposa. Não que muçulmanos sejam assim, rigidos ou autoritário, mas apenas conceder este possibilidade é o mesmo que aceitar que a violência seja algo aceitável.

Permitir que apenas homens possam se casar com não-muçulmanas e o contrário seja proibido faz com que a tolerância islâmica seja equivocada. Ao meu ver a fé é algo muito particular. A religiosidade é uma questão de espírito, da qual é um dos elementos primordiais para cristalizar o caráter de uma pessoa. Porque então não seria possível uma união entre mulheres muçulmanas e não muçulmanas? Porque julgar que alguém não muçulmano seja infiel, herege ou coisa do tipo ou indigno de respeitar as regras da religião da moça. Como se um cristão fosse alguém capaz de privar a religião da mulher, contrariando as crenças da mulher. Acho inconsistente o Islã se denominar, nesta questão como uma religião acima de todas, evidenciando se julgar a melhor e última religião da humanidade?

Tirei esse trecho de um artigo da internet:
“[…]O Cristianismo, em contraste, diz que um casal Cristão deve carregar o jugo igual, espiritualmente, em Cristo. Isso significa que o casal não deve temer por grandes diferenças teológicas. Eles começam em união. O homem não tem de temer sobre sua esposa ser infiel à sua religião. O homem não pode exercer controle patriarcal só para forçar uma unidade. Os filhos são criados como Cristãos, pequenos seguidores de Cristo. A família é, então, harmoniosa.

Em Cristo, há harmonia familiar. Na religião do Islã há diferenças familiares e conflitos potenciais em casamentos religiosos mistos.”

O amor deve estar privado de peculiaridades restritivas ou de posições superiores de um dos casais. Amor ao meu ver denota igualdade de sentimentos. Matrimônio é unidade. Não há de ser patriarcal, nem mesmo matriarcal, mas um único mundo, de duas pessoas, em quem independente de crenças teológicas, respeitam-se mutuamente, integrando suas filosofias de forma equilibrada. Onde nenhum imponha suas regras aos outros, e que assim haja harmonia. Não há alguém inferior. E ambos precisam de proteção.

No amor deve existir um caminhar de mãos dadas. Nenhum dos dois deve estar um passo a mais ou a menos que o outro.

Quando se caminha em cima de uma força maior, da qual te sustenta, e te faz ter as crenças que tens, num Deus Maior, somos capazes sim de perceber o valor da crença de cada e saber identificar o quanto é verdadeira, independente da maneira como é vivida. Se há esse respeito mútuo, não há religião, nem Deus que impeça duas pessoas que se amam, na alma, e na religião. Ao meu ver dessa forma, não há motivos para achar que uma mulher ou um marido seja infiel, apenas por seguir crenças distintas. No fim, se as crenças do dois buscam a Deus como objetivo final, há sempre esse compreender cativo.
Cada um pode viver a sua religião como acredita, e como ela a determina.

Embora eu deva ser realista, e sei que existem poucas pessoas cristãs que realmente vivam profundamente a religião, e são realmente verdadeiras e compreensivas com o mundo que os cerca. Talvez seja coerente mesmo esse receio da mulher islâmica. Mas não a ponto de estigmatizar toda uma religião ou tornar cristãos verdadeiros indignos de uma união de amor com uma pessoa de religião distinta.

Resposta:

Ola.

O Islam não confere mais direitos aos homens e sim direitos iguais.O homem não “vale” mais do que a mulher e nem a mulher “vale” mais que o homem,ambos são iguais perante a Deus,cada um com suas diferenças e obrigações; distintas,mas iguais.

No Islam não é digno de se bater na mulher,tem um versículo(ayah) que diz que em caso de extremamente necessidade,não é violência.Vamos supor uma briga feia,que a mulher ataque o marido,agrida ele,o marido para se defender faz tal atitude,errada atitude.O profeta disse que é errado o muçulmano que faz isso,mesmo se for numa situação assim.O profeta diz que o melhor dos muçulmanos é aquele que melhor trata sua mulher.Você pode estar pensando que horror,pode bater em mulher,não não é bem assim.Bater é errado,não sei se você entendeu o que eu quis dizer.Assista esse vídeo:

Leia esse trecho extraído de um texto:

*O Alcorão oferece alguns conselhos práticos para os casais cujo parceiro é o injusto. Para o marido, cuja má-conduta da esposa está ameaçando o casamento, o Alcorão dá 4 tipos de conselho, como detalhado nos versos seguintes:

“… Quanto àquelas, de quem suspeitais deslealdade, admoestai-as (na primeira vez), abandonai os seus eleitos (na segunda vez) e castigai-as (na terceira vez); porém, se vos obedecerem, não procureis meios contra elas. Sabei que Deus é Excelso, Magnânimo.

E se temerdes desacordo entre ambos (esposo e esposa), apelai para um árbrito da família dele e outro da dela. Se ambos desejarem se reconciliar, Deus os reconciliará, porque é Sapiente, Inteiradíssimo.”(4:34/35).

Os três primeiros devem ser tentados primeiro. Se não funcionar, então a ajuda das famílias envolvidas deve ser procurada. Deve-se notar que à luz dos versículos acima, bater numa esposa rebelde é uma medida temporária e que está colocada em terceiro lugar para os casos de extrema necessidade, na esperança de que isto possa remediar a esposa injusta. Se isto funcionar, não se permite ao marido, sob qualquer meio, de continuar a molestar. Se não funcionar, não deve usar esta medida por muito tempo e o passo final da reconciliação, assistida pela família, deve ser explorada.

O Profeta Muhammad orientou os maridos muçulmanos a não recorrerem a tais medidas, exceto em casos extremos, tais como atos lascivos cometidos pela esposa. Mesmo nestes casos, a punição deveria ser branda e, se a esposa desistisse, o marido não deveria irritá-la. “No caso de elas serem culpadas de lascívia, vós podeis deixá-las sozinhas em suas camas e infligir a eles punição branda. Se elas forem obedientes, não procurais motivos de aborrecimento contra elas.” (Tirmidthi).

Além disso, o Profeta do Islam condenou qualquer surra injustificada. Algumas esposas muçulmanas se queixaram a ele de que seus maridos lhes batiam. Ouvindo isso, o Profeta categoricamente estabeleceu: “Aqueles que fazem isso (bater nas esposas) não são os melhores dentre vós” (Abu Dawood). Deve ser lembrado também que o Profeta disse, com relação a essa questão: “Os melhores dentre vós são aqueles que são os melhores com sua família, e eu sou o melhor dentre vós para a minha família” (Tirmidthi).*

Quanto a questão do casamento o Islam diz que homens e mulheres devem se casar com muçulmanos que é mais coerente.Quanto só o homem poder casar com uma não muçulmana é sobre a questão da proteção da mulher,o casamento no islam eh algo muito sagrado,não é como hoje,que se separam por qualquer coisa.A família é algo sagrado,e harmonioso também.O Islam não priva ninguém de nada,só dos males.Mas a sociedade está muito fechada e não entende.Pensa que o Islam é uma religião machista que só da direito aos homens quanto na verdade tudo isso é para o bem da mulher.

Família no islam é harmoniosa sim ,porque não seria?Os casamentos são felizes,ninguém é forçado a nada.Tem conflitos?Tem,mas em que casamento não tem?Poxa,falam como se os casais tem brigas por causa do Islam.Pensamento fechado não?O amor existe no Islam.O Islam não se denomina melhor que as outras religiões.

A muçulmana não se casa com um não muçulmano pois tem regras no casamento muçulmano,regras que talvez o não muçulmano não entenda.Regras até na questão sexual.Veja nos países islâmicos a taxa de divórcio é bem menor que a no ocidente.E o muçulmano pode se casar apenas com judias e cristãs,porque ele conhece tais regras e vai respeitar de certeza a crença da sua mulher não muçulmana.Não que o não muçulmano não vai respeitar a crença da muçulmana,mas talvez ele não entenda.

No Islam o homem é o chefe da família,não significa que ele manda na família,mas sim que ele sustente a família e promova conforto,proteção,segurança…A mulher tem seu papel,muito importante também.Ela promove o afeto,claro que o homem promove o afeto também,da carinho e amor,mas a mulher tem mais esse lado.A mulher pode trabalhar se ela quiser,mas ela não é obrigada.Assim,o homem e a mulher vivem e harmonia com seus filhos,casa um com seu papel,NENHUM MAIS IMPORTANTE QUE O OUTRO.PAPÉIS DIFERENTES,MAS QUE NA FALTA DE UM,TUDO MUDA!

O Islam não ensina violência ,terrorismo.Se o Islam fosse tão ruim quanto dizem as pessoas não estariam se convertendo tanto por LIVRE espontânea vontade.No Brasil a cada 10 pessoas que se convertem ao Islam 7 são mulheres.As mulheres ocidentais estão achando seu caminho,sua liberdade no Islam,aquela religião “tão machista”,pobre mulheres.

O mundo tem tantas regras rígidas,e todo mundo acha normal agora as regras do Islam,que afasta as pessoas do mal,todo mundo condena.O Islam é uma religião que deve se entender,é simples,e flexível.Mulheres tem direitos a tudo,trabalho, herança,divórcio,votar,dirigir,a escolher seu marido.A tudo.Assim como o homem.Ela é igual perante Deus.Ela não é obrigada a usar véu,ela usa por que quer.Ela não é oprimida.

No Islam diz que cristãos e judeus que foram crentes em Deus e praticarem boas ações terão seus lugares no paraíso.Você acha isso preconceito?No Islam não diz que ninguém é melhor do que ninguém,não diz isso.Diz para amar cristãos e judeus,AMAR.

Para mim o que falta é compreensão do mundo.Porque falam que os muçulmanos condenam os judeus,cristãos e não os tratam  bem.Mas como tratar alguém bem que só julga,atira pedras e te chama de terrorista?Não me leve a mal,não estou julgando crença nenhuma,pois sei que existem muçulmanos pra lá de fanáticos,mas em que religião que não existe?

Cada religião é boa,e aproxima de Deus.O Islam assim como o catolicismo tem suas regras.Mas as regras do Islam ninguém entende e acha que é machista.Se as pessoas parassem para entender a grandeza do Islam,como param pra entender a grandeza de outras religiões não teríamos pensamentos ATRASADOS achando que o Islam é machista.Claro,ninguém é obrigada a concordar com tudo,mas entender ja basta.

Enfim.Era isso,ficou grande,eu sei,mas senti necessidade disso e por mim falava mais.Sei que isso vai gerar polêmica,mas fazer o que?Não ia deixar de responder,e achei bom o comentário,bom pra debater.Qualquer dúvida de alguém sobre algo é só perguntar.

Maa Salama!

Anúncios