Tags

,

Salam!  

A mídia adora passar a imagem de que as mulheres muçulmanas sofrem por causa da Sharia,que é “terrível e cruel”,mas na verdade não é bem assim.As mulheres costumavam ter mais direitos legais assegurados pela legislação islâmica do que tinham sob os sistemas legais do Ocidente até os séculos XIX e XX.

Não sei se eu já comentei no outro post,mas a Sharia é muito parecida com a “Common law”,a lei americana,pois então,olhem o que o professor de direito da universidade de Harvard, Noah Feldman,disse sobre a Sharia e as mulheres:  

Quanto ao sexismo, a common law por muito tempo negou à mulher casada quaisquer direitos de propriedade, ou até mesmo qualquer personalidade legal independente de seus maridos. Quando os britânicos aplicavam suas leis aos muçulmanos, no lugar da Sharia, como fizeram em certas colônias, o resultado era que as mulheres casadas perdiam o direito à propriedade que a lei islâmica sempre lhes havia concedido – dificilmente um avanço em direção à igualdade entre os sexos.

Antes das revelações recebidas pelo Profeta no século VII, era hábito no Oriente Médio entre os religiosos enterrar as suas filhas vivas . Isso, entre outras práticas exploratórias, tornava a mulher um ser submisso ao homem, tratada como de segunda espécie.

Durante e após a revelação do Alcorão, estes hábitos foram abolidos, tendo em vista de que a condição da mulher na sociedade do Oriente Médio foi revista, colocando-a como ser de igual nível ao homem, digna, respeitável, a ser protegida pelo homem.

Já no século VII, com a revelação do Alcorão, a mulher possuia direitos a: individualidade, educação e instrução, liberdade de expressão, direito de contratar, direito à Herança, direito ao divórcio, entre outros; alguns destes foram conquistados na prática no Ocidente apenas no século XX.E tudo isso,graças a Sharia.

“Mas,se a Sharia é tão boa assim com a mulher,o que você me diz sobre a mutilação e o apedrejamento?”

Sobre a mutilação: não é uma prática islâmica,e sim,de algumas tribos na África.Não há nada mencionado no Alcorão e na Sunnah,que prova que o Islam apoia a mutilação.Portanto,mutilação não é um costume islâmico.

Sobre o apedrejamento:é sim permitido no Islam,porém,não é como a mídia mostra.O apedrejamento não vale só para mulheres,e é uma pena para quem pratica adultério.No Islam adultério é crime,e é dos graves.O apedrejamento não é comum,não acontece toda hora e merece muito estudo do caso.O apedrejamento divide opiniões,afinal não está no Qu’ran que deveria ser lei,e alguns países usam como lei.Particularmente,depois de analisar,eu sou contra porque quem somos nós pata julgar o próximo né?E quem é perfeito para apedrejar o outro?Porém,isso SOU EU,Habibah Ibrahim,que pensa assim.

No próximo post,a visão da Sharia sobre os direitos humanos.

Maa Salama!

About these ads