Tags

A mulher no Islam

Influenciada pela campanha anti-islâmica orquestrada pelos agentes do imperialismo atuante inclusive no Brasil, resultou em uma impressão da mulher muçulmana que era carregada de submissão irracional, escravidão e enclausuramento forçado.
Impressão está que tem boa parte de suas ocas fundações ou nas fantasias hollywoodianas carregadas de erotismo, luxuria e mercantilização da mulher como por exemplo a visão dos haréns recheados de beldades irracionais e subumanas fornecida pela grande farsa da leitura oriental chamada de As Mil e Uma Noites.
Vamos apresentar de uma forma sucinta o verdadeiro valor da mulher dentro da sociedade Islâmica, nos utilizaremos para satisfazer tal intento as únicas e aceitáveis fontes de informações fidedignas, que são o Alcorão Sagrado e a Sunnah do profeta Muhammad, que foi narrada por seus companheiros e que é chamada de hadiss.
A Condição da Mulher No Islam

Com a forma como a qual o Cristianismo no geral idealiza a mulher, idealização está que abortou a imagem feminina como sendo fonte de todo o pecado ligado a sensualidade.
O Islam instituiu a co-responsabilidade nestas questões, por outro lado o Alcorão Sagrado exemplifica em mais de uma passagem que a relação dos humanos com deus se constitui na fé e nos atos realizados neste plano existencial.
Transmitindo uma mensagem de equitatividade nunca antes presente em nenhum outro livro Sagrado (Bíblia ou Tora), diz Deus no Alcorão Sagrado:
‘A quem praticar o bem, seja homem ou mulher, e for fiel, concederemos uma vida agradável e premiaremos com uma recompensa, de acordo com a melhor das ações.” (Alcorão Sagrado 16:97)
”Quanto aos muçulmanos e às muçulmanas, aos fiéis e às fiéis, aos consagrados e às consagradas, aos verazes e às verazes, aos perseverantes e às perseverantes, aos humildes e às humildes, aos caritativos e às caritativas, aos jejuadores e às jejuadoras, aos recatados e às recatadas, aos que se recordam muito de Deus e às que se recordam d’Ele, saibam que Deus lhes tem destinado a indulgência e uma magnífica recompensa. ” (Alcorão Sagrado 33:35)
Seja homem ou mulher que cumprir os cinco pilares ”práticas” do Islam terá a sua recompensa como diz Deus no Alcorão Sagrado:
”Ó humanos, em verdade, Nós vos criamos de macho e fêmea e vos dividimos em povos e tribos, para reconhecerdes uns aos outros. Sabei que o mais honrado, dentre vós, ante Deus, é o mais temente. Sabei que Deus é Sapientíssimo e está bem inteirado. ” (Alcorão Sagrado 49:13)
Pode se deduzir portanto que o Alcorão Sagrado tenciona estabelecer o equilíbrio entre o homem e a mulher, nunca precedendo um em detrimento do outro.
Invariavelmente para cada homem piedoso o Alcorão Sagrado cita com igual estima uma mulher piedosa.
Os casos das esposas de Abraão e Adão e das mães de Jesus e Moisés (que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre eles), exemplificam está tendência.
O Aspecto Intelectual da Mulher

O profeta Muhammad(que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele), disse aos seus contemporâneos:
”A procura do conhecimento é um dever para todos os muçulmanos”
E ainda acrescentou:
”Procurem a sabedoria do berço até o túmulo.”
E disse também:
”Procurai o conhecimento nem que para isso tenham que ir a China.”
Está preciosa herança do profeta Muhammad (que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele), nos indica claramente que a percepção dos bens materiais ou imateriais que estão a nossa volta e a conseqüentemente transformação dele em benefícios para os mesmos ou para outros constituem em uma ”razão de vida”, para todos os muçulmanos independente do sexo, idade ou condição social.
O Alcorão Sagrado convida a homens e mulheres para que observem o universo, as plantas os animais, a chuva e etc, com a finalidade de desenvolver a inteligência e a percepção da existência de Deus.
Uma das mais nobres figuras da história do Islam é uma mulher, Aisha (que Deus esteja satisfeito com ela) conhecida por sua inteligência privilegiada e uma ótima memória.
Ela debatia freqüentemente com o profeta Muhammad, seu marido, os assuntos pertinentes a comunidade Islâmica desde o mais simples até aos mais complexos e delicados.
Ela foi também, após o falecimento do profeta Muhammad, ativa preservadora, organizadora, e divulgadora das tradições do profeta Muhammad(que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele), para as gerações futuras.
Outro exemplo temos em Nafisah descendente do Khalifa Ali e Shaikh Shuhda de Bagdá que adquiriram fama por terem conhecimento das ciências e da literatura.
O Iman Shafii, o grande teólogo do Islam, recorria a Nafisah quando lhe assolava a duvida em qualquer aspecto do Islam, literário, sociólogo, jurídico, etc…
Relação Entre os Sexos

O Alcorão Sagrado descreve a relação entre o homem e a mulher como sendo de natureza interdependente e não independente para ambos, diz Deus no Alcorão Sagrado:
” Entre os Seus sinais está o de haver-vos criado companheiras da vossa mesma espécie, para que com elas convivais; e colocou amor e piedade entre vós. Por certo que nisto há sinais para os sensatos.” (Alcorão Sagrado 30:21)
Se por um lado o Islam garante as mulheres o acesso a educação e lhes assegura uma participação digna dentro da sociedade, Por outro determina a necessidade da união com o homem por meio lícito ou seja o matrimonio, e não concebe nenhuma união independência de um conjugue em relação ao outro.
Assim a relação entre o casal não pode ser sorteada somente por atração e compatibilidade sexual, mas sim com base em outros valores morais como amor, respeito, compreensão mutua e misericórdia.
Em outra surata o Alcorão Sagrado fala sobre a tônica da relação a dois:
” acercar-vos de vossas mulheres, porque elas são vossas vestimentas e vós o sois delas.” (Alcorão Sagrado 2:187)
A expectativa do Islam, com relação a participação das mulheres não só no casamento como também na vida em comunidade, é criar um elo deste ultimo com ”o todo social” resguardando uma participação vital do casal como elemento formador de um núcleo familiar sadio, base da sociedade harmônica.
Direitos e Deveres das Mulheres

Para entender com mais clareza o papel da mulher na sociedade islâmica precisamos saber seus direitos e deveres na comunidade, diz Deus Louvado Seja, no Alcorão Sagrado:
” Os homens são os protetores das mulheres, porque Deus dotou uns com mais (força) do que as outras, e pelo o seu sustento do seu pecúlio.” ( Alcorão Sagrado 4:34 )
Em uma sociedade muçulmana o marido tem a completa responsabilidade de sustento de sua família, o que a esposa ganha ou possui ficam com ela.
A mulher tem seu domínio de casa onde ela tem a iniciativa, mas ela tem que considerar o marido como o responsável dos assuntos gerais da família.
O profeta Muhammad(que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele), disse:
”A melhor esposa é aquela, que quando você a olha sente-se feliz, quando você pede algo ela obedece, ela protege seus direitos e guarda sua castidade quando o marido está ausente.”
O papel da mulher muçulmana no lar tem muita importância para a felicidade do marido e o bem estar e desenvolvimento físico e espiritual das crianças.
Ela é poupada da luta cotidiana do trabalho e sobrevivência no ambiente competitivo dos homens para que ela mantenha a sua saúde mental e equilíbrio necessário para educar e formar o caráter das crianças, deste tratamento depende o comportamento da sociedade das próximas gerações.
As mulheres são predispostas geneticamente a reagirem a estímulos de maneira diferente do ser masculino.
As que protestam pela emancipação feminina, alegam que o equilíbrio nas relações entre os sexos é sinônimo de repressão e dependência das mulheres.
O Islam ao contrario, testa que este equilíbrio tem sua origem em fatos imutáveis, e que ele não pode ser alterado, porque neste caso, surgiria uma quebra na lógica dos relacionamentos entre o homem e a mulher.
Se uma criança do sexo feminino prefere uma boneca ou outros brinquedos representem ternura, carinho ou delicadeza, não é por imposição machista mas sim por pré disposição instintiva que se originou em sua formação da identidade intelectual.
Seria violentar a sua natureza, que se tenta-se em nome da ”igualdade dos sexos”, presenteá-la com um par de luvas de boxe.
Da mesma maneira seria desastroso para a natureza da mulher tentar impor-lhe em uma sociedade as mesmas atribuições que se impõe á um homem.
Infelizmente está prática é comum nas sociedades que se auto denominam ”progressivas” acarretando a elas, as conseqüências dos
malefícios tão conhecidos; degradação da família, delinqüência juvenil, toxicomania, alcoolismo, distúrbio da personalidade, homossexualismo, etc…
Somente através de uma ação conjunta entre célula familiar, escola, entre outros, podemos estabelecer iniciativas de reeducação para compor um equilíbrio entre os sexos.
Particularmente o núcleo familiar assume um papel de especial importância nesta tarefa, pois é o primeiro grupo de influencia com o qual as crianças tem contato.
É a obrigação dos pais informarem-se a respeito das diferenças que existem entre igualdade e equitatividade.
Estes dois princípios, cuja a compreensão faz-se necessária, para que possamos por de um lado as falsa noções de igualdade e estabelecer a justiça entre os sexos como parâmetro na educação familiar.
O Casamento e a Família

O união das de células da origem ao corpo humano, cérebro e nervos, parte do corpo humano, são organismos altamente organizados, e administrados Por uma disciplina rigorosa.
Guardando as devidas proporções podemos traçar um paralelo de composição com os seres humanos, cuja sobrevivência também depende da submissão a determinadas leis e do nível de organização com que elas são cumpridas.
Sociologicamente falando, uma família é definida como uma estrutura especial cujos elementos principais são ligados uns aos outros através dos laços sangüíneos estabelecidos pelo casamento, que para se concretizarem precisam satisfazer exigências mutuas, definido pela religião, reforçado pela lei e institucionalizado pelos indivíduos.
No Islam os pais desempenham um papel importante na escolha do futuro esposo da filha, para que possa se concretizar esta união é necessário o seu consentimento.
No ato de assinatura do contrato de casamento o noivo entrega espontaneamente o dote ”mahr” á noiva.
O dote não tem outra finalidade senão materializar o respeito, carinho e amor da parte do noivo.
O homem tem que tratar a sua esposa com gentileza mesmo que o seu casamento não esteja indo muito bem com ela, como diz Deus o Altíssimo no Alcorão Sagrado:
” Ó fiéis, não vos é permitido herdar as mulheres, contra a vontade delas, nem as atormentar, com os fim de vos apoderardes de uma parte daquilo que as tenhais dotado, a menos que elas tenham cometido comprovada obscenidade. E harmonizai-vos entre elas, pois se as menosprezardes, podereis estar depreciando seres que Deus dotou de muitas virtudes.” (Alcorão Sagrado 4:19)
No Islam não existe duplo padrão moral, o que não é bom para mulher não é considerado bom para o homem, os castigos por violar a lei é igual para ambos.
” Dize aos fiéis que recatem os seus olhares e conservem seus pudores, porque isso é mais benéfico para eles; Deus está bem inteirado de tudo quanto fazem. Dize às fiéis que recatem os seus olhares, conservem os seus pudores e não mostrem os seus atrativos, além dos que (normalmente) aparecem. Ó fiéis, voltai-vos todos, arrependidos, a Deus, a fim de que vos salveis!” (Alcorão Sagrado 24: 30-31)
Conceito Ocidental

Nas sociedades adeptos do capitalismo materialista a ”emancipação” ou pseudo liberação da mulher está condicionada ao poder aquisitivo que ela possui, as mulheres de pouco poder aquisitivo foi concedida a liberdade de cometer atos de obscenidades degradando desta maneira a si própria.
Em síntese foi criado um conceito falso de liberdade, e através dos meios de comunicação ele é propagado, a mulher entorpecida pela perspectiva ilusória de ”gozar a vida sem culpas” consomem-na avidamente sem que se apercebam que a sua verdadeira liberdade lhe é pouco a pouco retirada; principalmente a sua dignidade enquanto ser humano.
Se considerarmos o conceito que se apresenta da figura feminina fora dos limites da influência do pensamento Islâmico, constatamos que existem prismas de entendimentos diametricamente opostos porem com pontos de origem semelhantes.
Um que é dos ”liberais assumidos”, apresenta a mulher como mercadoria a ser consumida e mero objeto de prazer, sem nenhuma função na sociedade que não seja está.
A outra entende que a mulher de uma forma neurótica, de um lado declara-se partidário da forma moralista cristã de viver, por outro comete secretamente as maiores obscenidades para imediatamente em seguida arrepender-se.
Por ser portador de um egoísmo típico dos ocidentais, prefere culpar a mulher pela suas reações doentias e passa pouco a pouco a odiar a figura feminina, e na verdade este é o ”obsceno enrustido”.
Analisando com algum senso de humor representaríamos estes dois prismas de entendimento de uma forma alegórica como dois macacos atados pelos respectivos rabos, e cada um tentando ir em direção diferente.
E àqueles, que se posicionam entre ambos ou tendem subjetivamente para um extremo ou para outro, são os arquitetos de tão perigosa construção que instigam a mulher a abdicar de sua castidade e se rebelar contra a proteção paterna e a renunciar a união licita ”casamento legal”, cumprindo assim seu propósito satânico a destruição da sociedade.

Comércio e Trabalho

O exercício da atividade fora do lar não e proibido entretanto a sua permissibilidade é acatada a medida em que não comprometa a instituição familiar, e a educação dos filhos, e depende da aceitação ou não do marido.Por tanto a mulher no Islam pode trabalhar sim,desde que ela não deixe de cumprir deu papel de mãe e esposa.

O Adultério No Islam

É classificado como adultério pelo Islam qualquer forma de contato físico entre sexos opostos fora da convivência matrimonial, o sexo fora do casamento ou adultério não só é considerado sob o ponto de vista moral, como um grave erro como também é interpretado juridicamente como delito sendo severamente punido.
Mas se o Islam condena e pune por outro lado estabelece normas que procuram eliminar a pratica do adultério.
O profeta Muhammad(que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele), aconselhou aos jovens que se casassem tão cedo quanto suas possibilidades materiais os permitissem para que seus impulsos sexuais fossem satisfeitos de maneira licita.
O comportamento social recatado, o vestuário decente e as restrições para o contato entre os sexos opostos diminui a possibilidade de desejos mútuos.
Nas formas de recreação o Islam proíbe festas mistas, danças de casais que não sejam casados legalmente, bebidas alcoólicas, e todas as situações que possam criar possibilidade do sexo fora de um relacionamento lícito.
A Figura Materna No Islam

A figura da mãe é considerada sagrada no Islam, há uma das tradições do profeta Muhammad(que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele), em que ele diz:
”O paraíso encontra-se abaixo dos pés das mães”
Isto significa que a bem-aventurança neste plano e no outro, depende da maneira como nos relacionamos com nossas mães.
O Alcorão Sagrado em inúmeras passagens, que são de uma responsabilidade impar, exortou ao ser humano que respeitem, amem e amparem a suas mães:
” E recomendamos ao homem benevolência para com os seus pais. Sua mãe o suporta, entre dores e dores, e sua desmama é aos dois anos. (E lhe dizemos): Agradece a Mim e aos teus pais, porque retorno será a Mim.” (Alcorão Sagrado 31:14)
”E recomendamos ao homem benevolência para com os seus pais. Com dores, sua mãe o carrega durante a sua gestação e, posteriormente, sofre as dores do seu parto. E de sua concepção até à sua ablactação há um espaço de trinta meses, quando alcança a puberdade e, depois, ao atingir quarenta anos, diz: Ó Senhor meu, inspira-me, para praticar o bem que Te compraz, e faze com que minha prole seja virtuosa. Em verdade, converto-me a Ti, e me conto entre os muçulmanos.” (Alcorão Sagrado 46:15)
Em outra tradição do profeta Muhammad, fala-se de um homem que se aproximou dele e perguntou:
-”Qual a pessoa que mais merece os meus cuidados?”
O profeta Muhammad(que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele), respondeu:
-”Sua mãe!”
O homem repetiu está mesma pergunta ao profeta Muhammad(que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele), mais três vezes, e o profeta Muhammad, sempre respondia a mesma coisa, na quarta vez o profeta Muhammad, respondeu:
-”O teu pai!”
E desta maneira o Islam dignifica a mulher não só no aspecto maternal, mas em todos os aspectos, enaltece a figura da mulher e dignifica a sua moral, mostrando a ela realmente qual é o seu verdadeiro papel dentro de uma sociedade.
Bom,como vocês viram a mulher é realmente honrada no Islam,para melhor entendimento,sugiro a leitura desse texto:

Maa Salama!

About these ads